Processo de Testes: Modelagem

A fase de modelagem, também chamada de fase de design de testes, vem depois da fase de análise no processo de testes. Esta publicação tem como objetivo falar um pouco sobre como funciona o design de testes em um ciclo de software. Durante a modelagem de teste, as condições de teste são elaboradas em casos de teste de alto nível, em conjuntos de casos de teste de alto nível e em outras ferramentas para automação de testes de caixa preta, que visam auxiliar na definição de casos de teste e sua execução. Estas ferramentas são conhecidas como testwares. Sendo assim, na fase de análise do teste o testador procurava responder à pergunta “O que testar?”, já na fase da modelagem, a pergunta que deve ser respondida é “Como testar?”

A modelagem implica em casos de teste e conjuntos de casos de teste para executar as condições de teste definidas na análise do teste. Normalmente, é uma boa prática modelar casos de teste de alto nível, sem valores concretos para dados de entrada e resultados esperados. Os casos de teste de alto nível são reutilizáveis em vários ciclos de teste com diferentes dados sólidos, enquanto ainda documentam adequadamente o escopo do caso de teste. Cada caso de teste deve ser, de preferência, rastreável de forma bidirecional, às condições de teste cobertas. A modelagem do teste também resulta no projeto ou na identificação dos dados necessários de teste, na modelagem do ambiente de teste, e na identificação de infraestrutura e ferramentas, mesmo que possa variar de maneira significativa a extensão na qual esses resultados sejam documentados.

Podemos concluir que as condições de teste mapeadas na análise de teste podem ser mais refinadas na modelagem do teste, os casos de teste e conjuntos de casos de teste são projetados e priorizados, os dados de teste necessários para comportar as condições de teste e os casos de teste são identificados, o ambiente de teste é projetado e a infraestrutura e ferramentas necessárias são identificadas. São a ainda, produtos de trabalho da fase de modelagem, a captura da rastreabilidade bidirecional entre a base de teste, as condições de teste, os casos de teste e os procedimentos de teste.

É interessante observar que um ciclo de teste bem executado, seguindo as fases recomendadas, visando obter os produtos de trabalho listados, será de total importância para o ciclo de desenvolvimento de software. Além de planejar, monitorar, analisar e modelar, veremos mais adiante que todas essas fases são o caminho mais sadio para a boa implementação e execução dos testes elaborados.

 

Por Hugo Almeida

Pesquisador Industrial do ISI-TICs

https://www.linkedin.com/in/hugolnalmeida/

Deixe uma resposta