Processo de Testes: Monitoramento

Continuando a série de publicações das etapas do processo de testes de software, vamos refletir sobre a etapa de monitoramento. No ISI-TICs, a equipe de testes vem desenvolvendo seus processos e chegou a conclusão de que a fase de monitoramento perdura por todas as fases seguintes, pois durante a análise, modelagem, implementação, execução e finalização dos testes, há um monitoramento e controle dos mesmos. E o processo de monitoramento no ISI-TICs é cíclico, voltando da finalização até a fase de análise.

O monitoramento de teste compreende comparações contínuas do progresso real do teste com o que foi planejado no plano de teste, usando as métricas de monitoramento definidas no plano de teste. A fase também é conhecida como monitoramento e controle, e o controle do teste propriamente dito envolve a tomada de ações necessárias para atender aos objetivos do plano de teste, podendo ser atualizado ao longo do tempo. O monitoramento e o controle dos testes são auxiliados por critérios de avaliação das saídas.

O progresso do teste em relação ao plano é exposto aos desenvolvedores, gerentes e demais stakeholders interessados nos relatórios de progresso do teste, e isso inclui os desvios do plano de teste e as informações para o caso de decisão de interromper o teste. Dentro da fase de monitoramento é essencial verificar os resultados do teste e os registros em relação aos critérios especificados de cobertura.

Após a verificação de resultados e critérios de cobertura, faz-se necessário avaliar o nível de qualidade do componente ou sistema com base nos resultados e registros dos testes. E após essa avaliação, o testador será capaz de determinar se serão necessários mais testes. Um bom exemplo de uma situação em que novos testes precisam ser desenvolvidos é se os testes originais destinados a atingir um nível de cobertura de risco do produto falharem.

 

Por Hugo Almeida

Pesquisador Industrial do ISI-TICs

https://www.linkedin.com/in/hugolnalmeida/

Deixe uma resposta