ISI-TICs e SENAI Nacional promovem workshop sobre o futuro da construção civil

Com o objetivo de criar futuros desejáveis para a indústria e identificar oportunidades para a realização de projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação, foi realizado na Casa da Indústria, nesta terça-feira (8), um workshop sobre o projeto Construção 2030, que visa mapear novas práticas e perspectivas da construção civil para as próximas duas décadas. O evento, oferecido pelo Instituto SENAI de Inovação para Tecnologias da Informação e Comunicação (ISI-TICs) em parceria com o SENAI Nacional, a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), o Sinduscon-PE e a Ademi-PE, reuniu engenheiros, projetistas e empresários do setor.

Especialista de Desenvolvimento Industrial do SENAI Nacional, Luís Gustavo Delmont conduziu o encontro apresentando os detalhes da plataforma digital Construção 2030 e as transformações da construção 5.0 no Brasil. “Nosso objetivo é entender quais tecnologias as empresas brasileiras querem adotar e como mudaremos o mindset dos profissionais para sair da mesmice. É urgente discutirmos quais são as mudanças que gostaríamos que acontecessem no setor”, comentou.

Nas atividades práticas em grupo, os presentes construiram modelos de negócios com base em cenários previstos para os próximos anos. A dinâmica contou com a mediação dos Pesquisadores do ISI-TICs e das especialistas de Desenvolvimento Industrial do SENAI Nacional, Caroline Cabral e Denise Terrer. “Durante o workshop, aplicamos uma série de tendências e sinais que identificamos a partir dos resultados do estudo da Construção 2030, realizado em 2018. Quando o assunto é consumo, por exemplo, constatamos que coliving é uma tendência urbana de compartilhamento de moradias que exigirá imóveis mais dinâmicos, que agreguem mais serviços. Já em construção, as organizações precisarão produzir menos resíduos e investir na sustentabilidade”, contou Terrer.

Para ela, as indústrias brasileiras precisam entender o perfil do novo consumidor e se adequar às mudanças do mercado. “Engana-se quem pensa que a tecnologia não agrega à construção civil. As empresas precisam investir em inovação ou perderão espaço”, destacou. De acordo com o pesquisador industrial do ISI-TICs Ernani Azevedo um dos objetivos do SENAI Nacional é gerar discussões para atender às necessidades do empresariado nacional. “As informações coletadas no evento serão consolidadas até novembro e servirão de base para a criação de uma categoria específica dentro de um edital para resolução de desafios do setor”, antecipou.

A programação contou, ainda, com painéis sobre a Sinduscon-PE e o suporte que a mesma oferece às construtechs, a otimização matemática na engenharia civil brasileira, a importância das TICs na Construção 2030 e apresentações de startups.

Na visão do diretor comercial da Gesso Trevo, Beto Bacelar, o workshop mostrou aos presentes que é possível inovar e proporcionou entendimento sobre o atual cenário da construção civil no Nordeste. “Foi importante debater soluções que ainda não são praticadas no mercado nordestino e identificar que temos uma preocupação em comum: produzir habitações de baixa renda para solucionar o déficit habitacional do país. Para isso, precisamos diminuir os custos, modernizar as fábricas e investir em novos equipamentos para construir casas de boa qualidade”, falou.

Além do Recife, o workshop já capacitou profissionais do setor em Brasília e ainda aportará em mais cinco cidades.

 

Deixe uma resposta