Confecção e a Indústria 4.0

A indústria têxtil e de confecção é uma das maiores e mais lucrativas presentes na economia global. No contexto da Indústria 4.0, está cada vez mais antenada com formas diversificadas de produção, buscando otimizar o desenvolvimento de produtos mais aderentes às necessidades dos clientes, assim como digitalizando a cadeia de valor. Essas transformações trazem maior valor agregado durante todo o processo produtivo, tornando a Indústria 4.0 um meio estratégico para tomadas de decisões nos mais diversos níveis gerenciais e até operacionais.

Neste contexto, o conceito de Confecção 4.0 simplesmente abrange tecnologias presentes nas grandes áreas da Indústria 4.0 de forma aplicada à indústria têxtil em geral. Assim, abre-se um leque de possibilidades em processos de design de produtos, manufatura, inventário, distribuição, varejo e merchandising virtual.

Umas das mudanças percebidas pelo advento da Confecção 4.0 consiste na hibridização entre produção e serviços. Ou seja, se a indústria têxtil tradicionalmente colocava a manufatura como algo distante do serviço ao cliente, hoje em dia essa separação tem se tornado cada vez menor. Isso é possível graças à maior rapidez e à sustentabilidade dos processos de produção têxtil, inclusive aumentando a proximidade geográfica entre fábricas e clientes.

Desta maneira, a hibridização entre produção e serviço pode possibilitar um cenário como este, em um curto espaço de tempo: (i) o usuário desejar uma roupa para um evento que se aproxima; (ii) inserir dados sobre estilos e medidas em um software; (iii) este software, com o apoio técnicas de inteligência artificial e Big Data, analisar os dados inseridos pelo usuários com base em informações tais como tendências, lições aprendidas de vendas passadas, disponibilidade de material, dentre outros parâmetros, e propondo um conjunto de acordo com tais dados; (iv) uma plataforma 3D renderizar uma proposta de roupa com base nas medidas informadas pelo usuário e (v) robôs autônomos iniciam a produção da roupa desde já.

Além das inovações tecnológicas por si só, este cenário também proporciona mudanças na experiência do consumidor, uma vez que permite a individualização e personalização dos produtos, além de favorecer maior heterogeneidade de grupos de consumo. Sendo assim, a Confecção 4.0 se mostra como um campo fértil para o desenvolvimento de pesquisa e inovação.

Por Julio Menezes Jr.
Pesquisador Industrial do ISI-TICs
https://www.linkedin.com/in/juliovenancio/

Deixe uma resposta