Pesquisadores do ISI-TICs se reúnem com startups vencedoras do Shell Startup Challenge

As empresas vencedoras do programa Shell Startup Challenge, edital de financiamento lançado em 2018 com o objetivo de fomentar a criação de soluções inovadoras para a indústria brasileira, vieram ao Recife para participar de uma série de reuniões com os pesquisadores do Instituto SENAI de Inovação para Tecnologias da Informação e Comunicação (ISI-TICs). O principal objetivo dos encontros, que contaram com a participação do gerente Sênior de Parcerias Tecnológicas da Shell Brasil, Marcelo Mofati, era alinhar os detalhes da conclusão da primeira fase dos projetos, que deve ser apresentada à Shell ainda neste mês de agosto. A agenda de atividades incluiu, ainda, uma visita às sedes do C.E.S.A.R e do Porto Digital, realizada na manhã desta quinta-feira (08).

Desde o ano passado, as empresas Pix Force, Teia Labs e PhDsoft Tecnologia Ltda. estão trabalhando para desenvolver as suas iniciativas, vencedoras do edital Shell Startup Challenge. No projeto, que nasceu a partir do Edital de Inovação para Indústria e foi lançado em parceria com o SENAI e com o Sebrae, a Shell buscou no mercado empresas que pudessem oferecer soluções para desafios existentes dentro do setor de óleo e gás. No total, as empresas receberam cerca de R$ 2,5 milhões em financiamento para a realização dos seus projetos em parceria com pesquisadores do ISI-TICs, eleito dentro da rede de Institutos SENAI de Inovação devido à proximidade com a área de atuação das empresas selecionadas.

Segundo o coordenador de Inovação e Tecnologia do ISI-TICs, Adriano Gomes, estas reuniões marcam o fim da primeira fase de desenvolvimento dos projetos. Se aprovados pela Shell, novas etapas serão realizadas até que as soluções possam, efetivamente, chegar ao mercado. “O SENAI, por meio dos ISIs, auxilia nessa jornada de amadurecimento das soluções. Conseguimos ter um bom entrosamento e os resultados estão sendo direcionados para aquilo que a Shell espera. Além de formar competências, o ISI-TICs consegue, por esses projetos, atuar na sua principal missão, que é aumentar a competitividade da indústria brasileira”, explicou.

Os projetos que estão em conclusão são relacionados às áreas de segurança das operações, exploração de poços e integridade de ativos. “O SENAI teve um papel fundamental na análise quanto no julgamento das propostas, no momento da contratação e, agora, tem dado apoio na execução do projeto. Esse modelo de chamados de inovação foi aprovado pela Shell no Brasil e a nossa ideia é replicá-lo em outros chamados no País e no exterior”, destacou o gerente Sênior de Parcerias Tecnológicas da Shell Brasil, Marcelo Mofati. Apenas este ano, a companhia está investindo US$ 73 milhões em projetos de inovação no Brasil, incluindo aportes em universidades e institutos.

Deixe uma resposta