Flow Machines: inteligência artificial na composição musical

Vemos muitas aplicações de Inteligência Artificial no reconhecimento de padrões visuais, modelos para tratar grandes quantidades dados e extrair informações, mas muito está se desenvolvendo para o uso de IA na criatividade.

É o caso do Flow Machines, que está sendo chamada de ferramenta de criatividade aumentada. Trata-se de um sistema de IA desenvolvido em um projeto de pesquisa do Laboratório de Ciência da Computação da SONY. O Flow Machines funciona sugerindo melodias, harmonias e timbres a partir de uma geração automática inteligente baseada na escolha de músicas e estilos pelo compositor. Seu objetivo é ser uma faísca criativa para os músicos no momento da composição. O sistema funciona analisando padrões no áudio e na partitura de músicas existentes e aplicando esses padrões em uma nova música.

Um bom exemplo é a música Ode a Alegria de Beethoven (considerado o Hino da União Europeia) que é tocada em diversos estilos (bossa nova, jazz, lounge music etc) e foi gerada de forma automática pelo Flow Machines.

 

Além disso, explorando outras capacidades do software, a música Daddy’s Car foi inspirada no estilo Beatles e criada usando o Flow Machines.

 

Em 2016, o Hello World é considerado o primeiro álbum composto por Inteligência Artificial e artistas. Foram 15 músicas criadas a partir da experimentação de artistas de diversos backgrounds com a ferramenta.

Mais informações sobre o sistema:

 

Por Filipe Calegário
Pesquisador Industrial
https://www.linkedin.com/in/filipe-calegario/

Fonte da Imagem: https://www.extremetech.com/wp-content/uploads/2016/08/Sound-Wave-iStock-640×353.jpg

Deixe uma resposta