Conferência Internacional sobre Novas Interfaces para Expressão Musical

Fonte da Imagem: https://www.ufrgs.br/nime2019/

Os pesquisadores do grupo de Criatividade e Inovação para a Indústria da Música do ISI-TICs, Filipe Calegario e João Tragtenberg, participam entre os dias 2 e 6 de junho da Conferência Internacional sobre Novas Interfaces para Expressão Musical (NIME 2019) que acontece na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre.
Pela primeira vez no Brasil, a NIME é uma das principais conferências da área de Tecnologia Musical, agregando as discussões de ponta em novos controles e novas interações na Música. Alguns produtos de grande sucesso na área, como o Roli Seaboard, tiveram suas primeiras discussões durante edições anteriores da conferência.
Na primeira noite, os pesquisadores farão a abertura do evento com a performance Gira, que leva ao palco dois novos instrumentos desenvolvidos pelo grupo: o Giromin e o Pandivá. A apresentação traz a junção de dança e música, com os gestos do corpo controlando diretamente os parâmetros de um sintetizador analógico.
Além disso, os pesquisadores irão apresentar o artigo “Towards the Concept of Digital Dance and Music Instruments” (Rumo ao conceito de Instrumentos Musicais de Música e Dança), no qual propõem um novo conceito de instrumentos musicais baseados, ao mesmo tempo, em música e dança. O objetivo é prover um modelo de descrição desses objetos de propósito híbrido para facilitar a criação, comparação e avaliação, beneficiando designers, músicos, dançarinos e fabricantes com uma linguagem em comum.
Após a conferência, os pesquisadores foram convidados para participar de um workshop para demonstrar, com mais detalhes, um outro protótipo desenvolvido pelo grupo, o Probatio. Trata-se um conjunto de módulos eletrônicos de controle inspirados em instrumentos musicais existentes que permite que músicos e designers criem seus próprios instrumentos musicais, combinando as peças como um Lego.
A participação do CIIMUS na conferência e no workshop destaca a relevância internacional dos trabalhos desenvolvidos pelo grupo e a inserção dos pesquisadores na comunidade mundial de inovação em novas interfaces para a expressão musical. A indústria brasileira de instrumentos musicais, que ainda é tímida na busca por inovação, precisar ficar atenta a novidades que aparecem em eventos internacionais como esse.

Deixe uma resposta