Sua indústria está pronta para a automação inteligente?

Foto: Business Connection

As indústrias devem estar constantemente buscando automatizar processos para inovar e otimizar suas operações. A automação é capaz de melhorar a eficiência, diminuir desgastes de máquinas e funcionários e até mesmo fornecer retornos expressivos para uma indústria.

Em um post anterior falamos um pouco sobre automação inteligente e como ela aumenta a capacidade de automatizar processos em larga escala com o uso de Inteligência Artificial. A automação inteligente faz com que máquinas passem a atuar na tomada de decisões e em ações de natureza humana como análise de dados cognitivos avançados, reconhecimento de objetos, fala ou até mesmo processamento de linguagem natural.

Neste post, apresentaremos alguns passos que devem ser seguidos para que se consiga automatizar processos de forma inteligente:

  • Consolidação e centralização: centralizar serviços e processos comuns em uma organização pode ser útil para redução de custos e para aumentar a integração entre processos. A eliminação de redundâncias de processos e até mesmo a união de processos podem aumentar o entendimento como um todo da cadeia produtiva de uma indústria e aprontar quais devem ser os processos prioritários que serão automatizados. Caso essa etapa não seja cumprida, corre-se o risco de se gastar muito mais automatizando de forma individual processos parecidos ou até mesmo apenas parcelas de operações importantes que poderiam ter sido tratadas de forma única;
  • Padronização: essa etapa deve atuar para aumentar a repetibilidade de um processo e a flexibilização do mesmo para inserção de novas rotinas e serviços. Processos devem ser repetidos diversas vezes sem perca de performance e eficiência. Além disso, devem ser receptivos a novos requisitos, diversas mudanças podem afetar um processo e o mesmo deve ser adaptado facilmente a nova realidade. A padronização permite utilizar de forma adequada os recursos disponíveis, aumenta a produtividade, o controle do processo e até a qualidade do produto final;
  • Otimização: o fato da automação inteligente ter grandes chances de impactar um determinado processo de forma positiva não quer dizer que o processo não deva ser primeiramente otimizado. A otimização permite a identificação de processos críticos e custosos (estes impactam diretamente no produto final e devem ser priorizados), permite que seja repensado o fluxo de processos dentro de uma linha produtiva e até mesmo a eliminação de processos desnecessários;
  • Automação Inteligente: ao chegar na etapa, espera-se que os processos que se deseja automatizar estejam consolidados, padronizados e otimizados. Todas essas fases são importantes para que a automação consiga ter dados mais objetivos e de fato atue em processos mais críticos. O custo de automatizar processos sem passar por essas etapas pode ser mais elevado e os resultados podem ser insatisfatórios, a automação não irá resolver problemas operacionais.

Portanto, antes de automatizar de forma inteligente processos em uma indústria, é importante que se revise e otimize cada um. A automação inteligente visa aumentar a qualidade e consistência, maximizando a produtividade e reduzindo o tempo de execução de processos antes dependentes totalmente da operação humana.

 

Deixe uma resposta