Cidades Inteligêntes, Inteligência Artificial e IoT

Foto: Gemalto

Cidades são grandes fontes de dados! Cidades Inteligentes conseguem absorver e utilizar os dados gerados para encontrar soluções tecnológicas que amenizam problemas urbanos, melhorando a qualidade dos serviços e consequentemente a vida dos seus habitantes. Duas tecnologias são primordiais para que isso aconteça, estamos falando da Internet das Coisas (IoT) e da Inteligência Artificial (IA) responsáveis por possibilitar a coleta e processamento de dados em tempo real, o que aumenta a capacidade de monitoramento e reação na gestão de grandes centros urbanos.

O Brasil tem uma taxa de homicídio 30 vezes maior que a Europa, com mais de meio milhões de pessoas assassinadas na última década, sendo 71% destes causados por homicídios com arma de fogo. Apenas no primeiro semestre de 2018, 26 mil pessoas foram vítimas de crimes violentos no país. Um dado preocupante é que muitas vezes a polícia não é nem reportada quando disparos são realizados. Nos EUA, apenas 12% dos incidentes com arma de fogo são reportados à polícia.

Nova York e mais 90 cidades do mundo já utilizam soluções de IoT e IA para tentar reduzir a quantidade de crimes. O ShotSpotter é um exemplo de ferramenta para prevenção de crimes que utilizada essas duas tecnologias. Através de sensores acústicos estrategicamente espalhados pela cidade e algoritmos de IA treinados para detecção de tiros, é possível detectar e triangular com precisão atividades de disparo. O tempo de reação da polícia diminui e zonas perigosas podem passar a ser mapeadas e monitoradas.

Além da detecção de tiros, os mesmos sensores acústicos podem ser utilizados para detecção de outros tipos de incidentes como acidentes de trânsito. O tempo de reação em situações como essas são fatores decisivos para amenizar os impactos causados. Além de sensores acústicos, outros tipos de sensores podem ser utilizados, tais como: proximidade, pressão, fumaça e etc.

Deixe uma resposta