Competências desenvolvidas em sala de aula para a Indústria 4.0

Foto: Dailyhunt

Como mostrado anteriormente, uma das horizontais do plano do plano de ação para Internet das Coisas (IoT) divulgado pelo BNDES é a formação de capital humano qualificado para o desenvolvimento da Indústria 4.0 no Brasil. Em comum para a introdução ao tema e capacitação de habilidades, destaca-se o despertar dos jovens para a IoT e Tecnologias da Informação de Comunicação (TICs).

A partir de um cenário que requer profissionais com perfil inovador e empreendedor, a Indústria 4.0 demandará uma formação mais sólida e com aplicabilidade aos conhecimentos aprendidos em sala de aula. O SENAI do estado Paraná destaca as novas competências que os alunos devem aprender em sala de aula para combinar empreendedorismo com as demandas do setor industrial. Assim, criatividade, inovação e especialização tornam-se características fundamentais, uma espécie de base, para o processo de aprendizado focado no capital humano da Indústria 4.0.

A partir do momento que é definido o conceito de Indústria 4.0, também torna-se fundamental ampliar o conceito para uma nova maneira de educar, a Educação 4.0, baseada em novas metodologias e visando as necessidades do mercado profissional. Como ponto de partida para alcançar novas modalidades de ensino, atividades voltadas ao desenvolvimento do espírito empreendedor e inovador são inseridas em sala de aula. Outro exemplo que contempla o despertar dos jovens para IoT/TICs é a contextualização de disciplinas básicas do ensino médio para áreas relacionadas a tecnologia.  

Um exemplo motivacional da contextualização de disciplinas do ensino médio/profissionalizante para a Indústria 4.0 pode ser visto ao discutir fundamentos da matemática aplicados à Indústria 4.0. De maneira similar, exemplos práticos da aplicação da Física, Química e inserção de novas atividades como programação e robótica podem desenvolver o interesse e capacitar os jovens com as novas habilidades exigidas pelo mercado profissional.

 

 

Deixe uma resposta