Aprendizado de máquina: adicionando inteligência para as aplicações conectadas

Foto: Network World

Este artigo tem como objetivo mostrar um breve resumo das aplicações do aprendizado de máquina (machine learning) nos casos de uso da Internet das Coisas, em especial, aplicadas ao contexto da Indústria 4.0.

  Com o aumento no número de objetos conectados, e consequente aumento das aplicações envolvendo a Internet das Coisas (IoT), a área de ciência de dados auxilia as aplicações de IoT tornando-as mais inteligentes. Como isso se torna possível? A resposta que de certa maneira possa parecer simples, envolve diferente algoritmos para análise de dados e classificação para posterior tomadas de decisão.

  O artigoMachine learning for Internet of Things data analysis: A survey”, mostra alguns casos de uso da aplicação direta do aprendizado de máquina em cidades inteligentes, mobilidade urbana e gerenciamento de energia. Outra contribuição é a presença da taxonomia dos algoritmos de aprendizado de máquina aplicados a IoT. Mostrando assim, a ciência de dados combinando as ferramentas de big data e machine learning, além de processos e experimentos estatísticos.

  Como motivação para este artigo, citamos a notícia que uma das gigantes do mercado de semicondutores e microprocessadores, a ARM, anunciou uma nova linha de processadores projetados para fornecer recursos de aprendizado de máquina para dispositivos IoT. O crescimento da aplicação da inteligência artificial (IA) na IoT, e consequentemente na indústria, pode ser explicada pela necessidade de ferramentas para processamento offline. Em geral, este tipo de processamento e análise permite que o grande volume de dados sejam inicialmente processado nos dispositivos de borda da rede (edge computing).

  Contextualizando um pouco mais a aplicação das ferramentas de machine learning na IoT, a Microsoft apresenta o Azure Machine Learning, serviço de análise preditiva na nuvem. De maneira prática, a ferramenta permite a criação de maneira rápida de modelos de predição e sua consequente implantação nas soluções conectadas. Desenvolvedores podem de maneira pratica e rapida encontrar recursos no próprio site da empresa.

  Considerando a previsão do grande número de dispositivos conectados (20 bilhões), até 2020, a Internet das Coisas demandará estas ferramentas para a economia de energia, tráfego de dados e gerenciamento dos dispositivos. No contexto da transformação digital, a junção destas ferramentas, IoT e parte da Inteligência Artificial, definem as novas aplicações inteligentes e conectadas.

Deixe uma resposta