Azure Sphere OS: a distribuição Linux destinada a IoT da Microsoft

Foto: Microsoft

  A Microsoft anunciou o lançamento do Azure Sphere OS,  sistema operacional (S.O.) para dispostivos IoT baseados em Linux.  Segundo informações do lançamento, esta distribuição Linux da Microsfot será destinada para dispositivos embarcados baseados nos chips “Azure Sphere”. Conta com o diferencial de baixo consumo de energia e aplicação em diversos dispositivos diferentes, como lâmpadas e campainhas. O grande diferencial fica por conta da integração de vários requisitos dos dispositivos IoT em uma única solução.

  Como descrito na página da empresa, a solução possui ferramentas para a segurança dos dados, além da combinação de soluções de hardware, software e soluções em nuvem, estabelecidas e bem-sucedidas com o Microsoft Azure. Abaixo, confira uma breve descrição detalhada das funcionalidades (adaptado do release da Microsoft):

  • Azure Sphere certified microcontrollers (MCUs): Uma nova classe MCUs que combina processadores em tempo real e aplicativos com tecnologia de segurança e conectividade integradas da Microsoft. Cada circuito integrado inclui tecnologia de segurança própria, inspirada em 15 anos de experiência e aprendizado do console Xbox, para proteger essa nova classe de dispositivos conectados, criados a partir dos MCUs;

 

  • Azure Sphere OS: S.O. construído especificamente para oferecer segurança e agilidade. Ao contrário dos RTOS comuns nos atuais MCUs, o Azure Sphere OS oferece várias camadas de segurança. Ele combina inovações de segurança pioneiras, um dashboard de segurança e um kernel Linux personalizado para criação de ambiente de software altamente seguro, junto a uma plataforma confiável para novas experiências de IoT;

 

  • Serviço de segurança de esfera do Azure: um serviço de nuvem pronto para uso que protege todos os dispositivos do Azure Sphere; intermediação de confiança para comunicação entre dispositivos e dispositivo para nuvem, por meio de autenticação baseada em certificado, detectando ameaças de segurança emergentes em todo o ecossistema do Azure Sphere por meio de relatórios de falhas on-line e renovando a segurança por meio de atualizações de software. Ele traz o rigor e a escala que a Microsoft construiu ao longo de décadas, protegendo nossos próprios dispositivos e dados na nuvem para dispositivos alimentados por MCU.

  O primeiro chip propriamente dito do Azure Sphere será o MediaTek MT3620, que representa anos de estreita colaboração e testes entre a MediaTek e a Microsoft. Outros parceiros iniciais incluem a Arm, que trabalhou em conjunto para incorporar seus processadores de aplicativo Cortex-A nos MCUs do Azure Sphere. Outra novidade é a formação de um amplo ecossistema de fornecedores que podem usar seus conhecimentos para projetar chips especializados em vários mercados. No site da empresa pode-se encontrar mais detalhes dos MCUs Azure Sphere e outros parceiros no ecossistema do Azure Sphere.

Deixe uma resposta