SENAI 4.0: a grande oportunidade para a indústria brasileira ser mais produtiva

Foto: SENAI 4.0

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) lançou, na quinta-feira (15/03), em Florianópolis, uma plataforma para empresários realizarem uma espécie de diagnóstico online do estágio tecnológico de suas empresas. Tal avaliação pode ser considerada como uma base, para a elaboração de plano especifico para a inserção da empresa na Indústria 4.0. Como parte do plano para aplicação dos pilares da Industria 4.0, os empresários que se interessarem poderão participar de workshops gratuitos para aprender as oportunidades e riscos dessa nova revolução industrial.

Além da plataforma, também foi divulgado o documento “Carta Industria 4.0”, onde a instituição lista as principais oportunidades para a indústria brasileira se tornar mais produtiva, segundo sua visão.  Do conteúdo apresentado no documento, a visão do SENAI vai em direção parecida com o plano de ação de Internet das Coisas do BNDES, na medida que foca além da aplicação das tecnologias, o desenvolvimento de capital humano. “O SENAI compreende que a manufatura avançada é mais do que adotar novas tecnologias, como inteligência artificial e big data. Exige, entre outros aspectos, a qualificação dos profissionais que vão programar máquinas complexas, implantar novos processos e, principalmente, tomar decisões embasadas e em tempo real. Passa também pelo investimento em inovação, essencial para que o Brasil participe das principais cadeias globais de valor.” Assim, além de mostrar as possibilidades de modernização para gestores, torna-se importante expor os possíveis retornos do investimento de capital para modernização e qualificação para profissionais das diferentes áreas.

A carta da Indústria 4.0 pode ser acessada diretamente neste link. O portal SENAI 4.0 apresenta o resumo do documento, assim como um canal para empresas interessadas na Indústria 4.0 possam se capacitar através de tais atividades e cursos gratuitos. A partir de documentos como esse, o ano de 2018 torna-se como decisivo para a modernização das empresas nacionais visando a indústria inteligente e conectada.

Deixe uma resposta