Inteligência Artificial na Administração Pública

Foto: readwrite

O Brasil anunciou um investimento de 10 milhões para incentivar a aplicação de Inteligência Artificial (IA) nos serviços públicos. A idéia é, inicialmente, através da análise de dados e IA, combater a prescrição excessiva de antibióticos e identificar pessoas com risco de desemprego de longa duração.

A prescrição de antibióticos é um problema antigo que além de gerar custos pode fazer surgir “suberbactérias” mais resistentes e de difícil tratamento. No Brasil, 23 mil pessoas morrem por ano vítimas de bactérias resistentes. Esse projeto visa analisar receitas eletrônicas feitas por médicos a fim de reduzir a prescrição excessiva de antibióticos. A IA, que já vem revolucionando a medicina e cuidados com a saúde, pode fornecer bons indícios de que uma bactéria está se tornando muito resistente aos antibióticos.

Outro grande problema da administração pública brasileira é o número de desempregados. Estima-se que 12,6 milhões de brasileiros estão desempregados. O desemprego pode causar transtornos mentais, depressão e fazer muito mal para a saúde. A idéia do projeto é de identificar precocemente o risco de desemprego de longa duração. Além disso, identificar nas demandas de mercado habilidades que os desempregados não possuem a fim de promover treinamentos e capacitações para inserir novamente o cidadão no mercado de trabalho.

No mundo, diversas iniciativas utilizam IA para deixar a administração pública mais eficiente. Um estudo feito pelo Deloitte comprovou que apenas a automação de algumas tarefas do setor público, com o uso de IA, poderia reduzir milhões de horas trabalhadas e poupar bilhões de dólares da administração pública. A Amazon já dispõe de soluções na nuvem dedicadas ao setor público com estruturas escaláveis e que permitem o uso de IA na administração pública.

Deixe uma resposta