A indústria 4.0 e seu impacto no Brasil

Foto: Yogesh Jiandani

A quarta revolução industrial, ou indústria 4.0, é o termo utilizado para uso das tecnologias de automação e troca de dados a partir de sistemas ciber-físicos, Internet das Coisas (IoT) e computação na nuvem. Como consequência da utilização de novos sistemas e algoritmos inteligentes, o impacto esperado é  a produção de itens mais complexos, acompanhamento de toda cadeia de produção e aumento da produtividade da indústria.

Em geral, os princípios mais importantes para o desenvolvimento e implantação da indústria 4.0, que definem os sistemas de produção inteligentes que tendem a surgir nos próximos anos, podem ser resumidos como:

  • A capacidade de operação em tempo real: A partir da aquisição e tratamento de dados, de forma praticamente instantânea, decisões podem ser tomadas em tempo real;
  • Descentralização: A tomada de decisões poderá ser feita pelo sistema ciber-físico de acordo com as necessidades da produção em tempo real. Além disso, as máquinas não apenas receberão comandos, mas poderão fornecer informações sobre seu ciclo de trabalho. Logo, os módulos da fábrica inteligente trabalharão de forma descentralizada a fim de aprimorar os processos de produção;
  • Modularidade:  Atender a produção de acordo com a demanda atual, realizando o acoplamento e desacoplamento de módulos na produção. O que oferece flexibilidade para alterar as tarefas das máquinas.

Os pilares que justificam o surgimento e consequente uso da indústria 4.0 pode ser explicado pelos avanços tecnológicos da última década, aliados às tecnologias em desenvolvimento nos campos de tecnologia da informação e engenharia (microeletrônica). Os dois pilares principais em que a indústria 4.0 se sustenta são:

  • Internet das coisas (IoT):  Que consiste na conexão e uso de objetos físicos, ambientes e máquinas conectadas através de dispositivos eletrônicos embarcados que permitem a coleta e troca de dados.
  • Big Data Analytics: São estruturas de dados muito extensas e complexas que utilizam novas abordagens para a captura, análise e gerenciamento de informações.

O impacto direto causado pela indústria 4.0 é uma grande mudança que afetará o mercado de uma maneira geral. Seja na criação de novos modelos de negócios, demanda de customização prévia de produtos por parte dos clientes e desenvolvimento de campos de segurança em TI, devido a necessidade de confiabilidade da produção e sigilo na comunicação máquina-máquina.

No caso específico brasileiro, ainda deve-se ter como impacto a alta demanda por novos profissionais capacitados na área de TI e setores como engenharia da computação, eletrônica e de automação, além da extinção de algumas áreas de atuação. Atualmente apenas 7% dos formandos brasileiros estão nas áreas prioritárias para o desenvolvimento de IoT no Brasil e consequente desenvolvimento da indústria 4.0, como aponta o Relatório de Análise de Oferta e Demanda, a Fase I do estudo do BNDES sobre estratégias de desenvolvimento de IoT no Brasil.

Além de uma alta demanda de profissionais qualificados, outra dificuldade apontada para o cenário industrial brasileiro é a dificuldade das indústrias em fazer pesquisa e desenvolvimento (P&D) em manufatura avançada, já que existem diversas tecnologias envolvidas e não existe uma estrutura de P&D dedicada para cada área em uma única empresa, como aponta o diretor de Tecnologia da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq),João Alfredo Delgado.

Deixe uma resposta