Instituto SENAI de Inovação e Serttel desenvolvem projeto de mobilidade urbana

Cansado de pegar todos os sinais vermelhos no trânsito? O Instituto Senai de Inovação para Tecnologias da Informação e Comunicação (ISI-TICs) desenvolveu um projeto para investigar uma solução prática. Em parceria com a Serttel – empresa que desenvolve tecnologias para a mobilidade urbana -, o ISI-TICs criou um aplicativo para smartphones Android chamado Onda Verde, o primeiro produto concebido pelo instituto sob demanda.

Basicamente, o app sincroniza com os semáforos, identifica em qual via o carro está se locomovendo através de geoposicionamento e fornece informações sobre a velocidade que deve ser mantida para o motorista pegar a “onda verde”, ou seja, a sequência de sinais verdes. A Serttel forneceu os dados de programação semafórica da Av. Norte Miguel Arraes, que foi utilizada como via para os testes da primeira versão do Onda Verde.

A grande inovação do projeto é um algoritmo de geocoding reverso desenvolvido pelo instituto, que permite a troca de informações entre o aplicativo e o servidor da Serttel. Além de reduzir o trajeto percorrido pelo usuário, tornar o trânsito da cidade mais fluente e possibilitar a redução do consumo de combustível, a aplicação também garante mais segurança aos motoristas que dirigem à noite e não querem permanecer muito tempo parados no sinal vermelho.

Sérgio Soares, diretor do ISI-TICs, também destacou a possibilidade de novas oportunidades e funções para o Onda Verde. “Podemos customizá-lo para empresas de ônibus BRT (Bus Rapid Transit) com o objetivo de otimizar o tempo do trajeto, reduzir o consumo de combustível e o desgaste dos veículos. Também é possível integrá-lo a um sistema de navegação que defina rotas levando em consideração o estado dos semáforos. Outra ideia é, a partir do aplicativo, enviar à Serttel dados sobre o trânsito em tempo real, influenciando a programação dos semáforos para diminuir os congestionamentos”, afirmou Soares.

O aplicativo Onda Verde é fruto da parceria de um projeto de testes entre a Serttel e o ISI-TICs e deve produzir soluções inovadoras aos principais problemas da mobilidade urbana no Recife e de grandes cidades do Brasil e do mundo. “O algoritmo de geocoding criado pelo projeto pode ajudar na implementação de muitas soluções inteligentes para otimização e segurança do trânsito através de veículos conectados no conceito de internet das coisas”, afirmou o presidente da Serttel, Angelo Leite.

“Esse tipo de solução tem o potencial, por exemplo, de ser a ponte entre o semáforo, o carro e as ruas, potencializando o uso de veículos autônomos. Agora pensaremos em formas de aplicar essa tecnologia no nosso Laboratório de Smart City, no bairro do Recife Antigo, e depois, quem sabe, expandir para escalar em cidades”, completou o presidente da empresa que é responsável pelo sistema de aluguel de bicicletas.

O Instituto SENAI de Inovação para Tecnologias da Informação e Comunicação tem um plano de negócios com o BNDES de aproximadamente R$ 46 milhões para construir a estrutura física do ISI-TICs e da Faculdade SENAI de Tecnologia nos próximos anos. A previsão é de que sejam estruturados dois laboratórios temáticos, um de mobilidade urbana e outro de internet das coisas, segundo o diretor Sérgio Soares.

“Focamos no desenvolvimento de projetos específicos e sob demanda. O objetivo não é criar simplesmente um produto, mas uma tecnologia e entregá-la ao cliente. No caso do Onda Verde o desafio era mostrar a capacidade técnica do ISI-TICs e das tecnologias envolvidas”, destacou Soares.

Fonte: pe.senai.br/noticias/instituto-senai-de-inova%C3%A7%C3%A3o-e-serttel-desenvolvem-projeto-de-mobilidade-urbana/#.WwK0V0gvyUk

Deixe uma resposta